quinta-feira, 28 de abril de 2011

Fotos Prêmio Rio SocioCultural











Prêmio Rio sociocultural


Clube Foto e Amigos na Cultura 
recebem o Rio sociocultural:
um prêmio ao fazer cultural fluminense

Mal acabou de completar seus 57 anos, o Clube Foto
recebeu um dos maiores presentes da sua história
A cerimônia de escolha e entrega do Prêmio Rio Sociocultural 2010, que aconteceu no Teatro João Caetano, no Rio, nesse dia 14/04, foi um marco para a cultura do estado. Com a presença de muitos dirigentes e participantes de entidades do setor, o prêmio foi criado para dar visibilidade às ações culturais do estado do Rio e em sua segunda edição, é uma realização do Rio Solidário e Instituto Cultural Cidade Viva, sob apoio do Sebrae-RJ e patrocínio da Companhia Distribuidora de Gás do Rio de Janeiro - SEG e da Secretaria de Estado de Cultura. Um comitê Técnico foi responsável pela seleção de 10 entre quase 300 projetos, os quais foram contemplados com R$3 mil e uma verdadeira condecoração: o selo Prêmio Rio Sociocultural 2010,  que reconhece publicamente e diante das instituições, sob o aval do governo do estado, a relevância do trabalho social desenvolvido através de cada projeto. E é, por assim dizer, uma espécie de ‘selo ISO 9000’. Uma comissão Especial (composta por cerca de 60 formadores de opinião de vários segmentos, como artistas, produtores de renome, professores, dirigentes e empreendedores de setores afins), deu, durante as apresentações dos vídeos que contam a história das ações finalistas, por escrito, pareceres que poderão ser usados nos currículos dos Projetos apresentados, tirando do anonimato, obras de tamanha importância. Entre as dezenas de membros da comissão Especial estavam muitos atores e atrizes do cenário televisivo, como Bel Kutner, Aisha Jambo, Fábio Enriquez, Alexandra Richter e Paloma Bernardi.

 Dois dos dez finalistas são de Volta Redonda: Os Pontos de Cultura do Clube Foto Filatélico, com "A Fotografia Como Inclusão Social" e  do "Amigos na Cultura", com Criando Cultura, Produzindo Sonhos , (veja o quadro completo de contemplados). A presidente do Clube Foto, Kika Monnteiro, disse à imprensa, após a cerimônia da necessidade da sociedade civil organizada colaborar com a manutenção de direitos constitucionais que deveriam ser garantidos pelo Estado e historicamente nunca foram de forma efetiva: "O acesso à educação, cultura, saúde, igualdade, justiça social, vem sendo defendido por várias organizações, mas ao longo dos anos essas ONG's têm sido marginalizadas pelos recorrentes escândalos envolvendo corrupção. A iniciativa do Instituto Cidade Viva de reconhecer organizações sérias e comprometidas como a nossa representa um "tapa de luva" naqueles que colocam todos no mesmo pacote. Tem muita gente fazendo e acontecendo com ética, compromisso e sobretudo com muito amor. Estamos nos sentindo honrados, homenageados e mais do que isso: incentivados a prosseguir nessa luta que para muitos não passa de uma grande utopia.". Angela do Bem, uma das mentoras do projeto do Clube Foto, também reconhece a vitória de todos. E acrescenta: “O prêmio nos motiva ainda mais a seguir em frente. É bom  saber que não estamos sozinhos e que tem cada vez mais entidades e pessoas sérias e comprometidas trabalhando pelos menos favorecidos”. Na tarde do dia 14, cinco dentre os dez foram contemplados ainda com mais R$ 5 mil, por um júri especialmente convidado. Entre eles, o Amigos na Cultura. Volta Redonda, mais uma.
A Torcida do 'Criando Cultura, produzindo Sonhos' da
instituição Amigos na Cultura, duas vezes premiada

Renata Cipriano, coordenadora do projeto, disse que  “apesar da surpresa, é muito bom saber que nos destacamos, que mesmo no meio desse abismo social que ainda vemos no país, tem uma galera tentando fazer e fazer acontecer em vez de só falar”.A apresentação do evento ficou a cargo da bailarina e atriz Ana Botafogo.

A atriz Alexandra Richter, emocionada com o que viu, disse que “o mais bonito foi ver que todos os atores desse cenário real dizem a mesma coisa: me sinto importante! Isso não tem preço. Eu estou me sentindo importante de estar aqui dando uma opinião sobre a importância dessas pessoas.” O presidente do Instituto Cidade Viva, Fernando Portella, fez um discurso emocionado e disse: ”Todos que estão aqui são vencedores. Acreditaram num sonho, quando começaram o trabalho em prol de um mundo melhor e mais justo, e hoje,  esse projeto é reconhecido pelo Estado”. No final, as palavras do governador Sérgio Cabral, acabaram de selar a importância daqueles grupos de cidadãos. Ele agradeceu as iniciativas e acrescentou diante de todos. “Vou conversar com a secretaria Adriana Rattes para que seja providenciada uma verba, não apenas simbólica, mas que possa garantir o mínimo de sustentabilidade anual para todos os dez projetos”, garantiu o governador.


Os 10 projetos ganhadores do selo Rio Sociocultural (troféu e R$3 mil). 
Em destaque, os 5 que foram contemplados com mais R$5 mil 
(A ordem não representa classificação)

MacacuCine | Filipe Gonçalves de Assis – Cachoeiras de Macacu
Criando Cultura Produzindo Sonhos | Marco Aurélio Soares Alves – Volta Redonda
Vagão da Leitura | Vivian May de Sant'anna – Vassouras
Sociedade Musical Camerata Rioflorense | Dimas Gabriel – Rio das Flores
Um Passeio na História | Diuner José Melo da Silva – Paraty
A Fotografia como Inclusão Social | Karine Monteiro Valente – Volta Redonda
Gotta: os intérpretes da alegria | Ana Souza – Campos dos Goytacazes
Projeto Circo Baixada | Nilcelene Moreira da Silva Costa – Queimados
Centro de Ópera Popular de Acari | Avamar Filgueira Pantoja – Rio de Janeiro
Primeiros Traços - Escola de Cartoon | Alexandre Rodrigues Marques – Rio de Janeiro

Créditos das Fotos: As fotos publicadas no blog do Clube Foto VR estão com a marca da instituição por medida de segurança, mas foram feitas por alguns fotógrafos amigos e colaboradores: 
Angela do Bem
Jair de Assis
Leonan Claro
Jô Araújo
Jaqueline Machado
Marino Azevedo


terça-feira, 12 de abril de 2011

Convite Prêmio Rio SocioCultural

Convite
Olá gente boa!

O Clube Foto Filatélico está entre os 10 finalistas do Prêmio Rio SocioCultural que acontecerá nesta quinta feira, dia 14 de abril, às 14 horas no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro.
O prêmio oferecido pelo Instituto Cidade Viva e Rio Solidário tem o patrocínio da Ceg Rio e da Secretaria Estadual de Cultura em parceria com o Sebrae.
Será muita honra ter você conosco!

Forte abraço!
Kika Monnteiro
Presidente do Clube Foto
Matéria veiculada hoje 12 de abril, no jornal O DIA

Clube foto forma mais uma turma do Ponto de Cultura

Cerca de 40 crianças, moradoras do bairro Paraíso de Cima de Barra Mansa tiveram a oportunidade de conhecer e aprender mais sobre fotografia, no dia 12 de fevereiro. 
O projeto "A Fotografia como inclusão social" do Clube Foto Filatélico em parceria com o Projeto Técnico Social, que acontece dentro do PAC - Habitaçã (Programa de Aceleração do Crescimento) promoveu uma oficina de fotografia durante um dia todo. “É sempre um prazer ver os olhos de cada criança brilhando ao ver uma câmera”, disse a diretora de fotografia e coordenadora do Ponto de Cultura.






A fotografia como inclusão social

Desde a primeira fotografia produzida em 1822 pelo francês Niépce, passando pela foto pinhole (processo alternativo de se fotografar com uma lata escura e um buraco refletindo a imagem em papel fotográfico), à prática de fotografar com filme, revelar o negativo e o papel na luz vermelha do laboratório, e que resultaram em boas fotos produzidas pelos alunos da primeira turma do Curso básico de fotografia e revelação P/B, foi uma longa e prazerosa caminhada. É o que revela Angela do Bem, coordenadora do projeto “A fotografia como inclusão social”, e diretora do Clube Foto Filatélico, atual Ponto de Cultura.
A arte de incluir                 foto de Martin Winter
- Tudo foi muito mágico, demos o ponta pé inicial no projeto que irá beneficiar gratuitamente, durante três anos, mais de três mil pessoas estudantes da rede pública de ensino, interessados na arte de fotografar.

O projeto teve início no dia 14 de agosto de 2010, com a presença de alunos da rede pública de Bananal. Essa primeira turma, composta por alunos das Escolas Municipais José Luiz Ferreira Guimarães e Zenóbia de Paula Ferreira, de Bananal-SP, foi animadora, e os alunos de diferentes turmas e idades ávidos pelo novo, bem educados, participativos estavam realmente interessados em aprender, diz Angela que completa: “Acreditamos que a troca se deu, e que todos nós saimos daqui com algo mais que a iniciação ao mundo da fotografia, ou à arte de revelar, mas principalmente com a revelação de valores, como educação, gentileza, amizade, gratidão”.

A roda da vida!           fotos Angela do Bem
As escolas públicas interessadas em fazer parte do projeto, deverão entrar em contato com a direção do Clube, pelo tel. (24) 3342-6450 / 9976-7725 ou comparecer à sede que fica na rua 19, nº 21 – Vila Santa Cecilia, ou ainda pelo email contato@clubefotovr.com.br.

Imagens sendo reveladas


O que são os PONTOS DE CULTURA

Os Pontos de Cultura são definidos como iniciativas culturais desenvolvidas pela sociedade civil que estão sendo potencializadas pelo Governo Federal, através do Programa Mais Cultura, em conjunto com os Governos Estaduais, que liberaram recursos para cada um dos projetos culturais selecionados por meio de edital. Lançados na gestão de Gilberto Gil à frente do Ministério da Cultura (MinC) e mantidos na administração de Juca Ferreira, os Pontos de Cultura agregam diversas formas de expressão: música, poesia, literatura, artes plásticas, artes visuais, saúde e dança. Espalhados por todos os cantos do país, eles envolvem as comunidades e seus líderes, um reconhecimento do Ministério da Cultura à ação cultural de tantos brasileiros. Uma cartografia da cultura e da criatividade da população brasileira.
Aula prática no Memorial Zumbi - Vila Sta Cecilia - VR
“Os Pontos de Cultura são espaços permanentes de experimentação, encanto, transformação e magia”, Luiz Inácio Lula da Silva, Presidente da República.
“O Ponto de Cultura é “uma espécie de ‘do-in’ antropológico, massageando pontos vitais, mas momentaneamente desprezados ou adormecidos, do corpo cultural do País”, Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura.